domingo, agosto 20, 2006


Escultura


O meu coração te desejou
A minha mente leu o recado.
Passei então a te desenhar
Não dá forma que tu eras
Da que o meu coração tinha sonhado.

Te esculpi inteiro
Não o físico, este eu já conhecia.
Delineei o teu amor
E o dediquei só para mim.
Refiz os teus desejos, iguais aos meus.
Enfim...

Te recriei da minha maneira
Dentro do molde que em mim cabia.
Só não esperava jamais que, ao te encontrar finalmente,
Não eras tu quem eu conhecia.

Percebi então, num instante,
Que a minha mente havia me enganado.
Foi o fruto da minha imaginação, e não a ti,
Que eu tinha amado.

Léia Batista

4 comentários:

poeta_silente disse...

Linda poesia, Léia.
Bjkinhas
Miriam

Francieli Rebelatto disse...

Quantas vezes nos enganamos, depois de tanto acreditar que era perfeito. Coisas que só o tempo e a convivência nos fazem enxergar, depois que ultrapassamos o limite entre admiração e o real...

Linda poesia...beijos

Serpente Emplumada disse...

Primeira vez que te visito e adorei o texto... Sonhamos tanto que superamos a realidade, ficando presos ou mesmo obcecados por um ideal que na verdade nao existe. Um beijinhos desde Portugal*

Sandra Daniela disse...

Sonhar sim! Mas não nos devevemos alienar da realidade! bonito poema!!!