quinta-feira, agosto 10, 2006




Perfil

Não me pergunte quem sou.
Sou o que você não vê.
Não tente entender o que nem eu consigo saber
Defino-me assim indefinida.
Meio mulher, um tanto criança, um pouco velha
Cheia de esperança.
Não estou pronta, vivo inacabada
Não sou inteira, sou partes encaixadas.
Não me sacio, insatisfeita eu vivo
Me escrevo e reescrevo, não quero o meu final,
Estou na metade do capítulo.
Não sou um poema somente, sou um livro.
Sou paixão personificada, amor em minha essência
Sou saudade do que não tenho
Lembrança do que já tive
Ausência.
Não sou santa, eu não nego
Um tanto louca, me confesso.
Tenho medo e sou valente
As vezes caio, outras só escorrego
Não me tente, eu me entrego.
Sou parte do mar, muito do céu, meus pés vivem no chão
Mas o meu coração vive ao léu.

Léia Batista




6 comentários:

poeta_silente disse...

Léia!
Arrasaste, amiga!
Que maravilha. Que belas palavras. Uma definição poética das mais lindas que já vi.
Parabéns.
Miriam

Cadinho RoCo disse...

Em sua franqueza o rastro da meiguice, o fôlego pronto pra seguir.
Em seu mistério, uma mulher.
Cadinho RoCo
www.balaiodeminas.com.br

su disse...

Bela definição entrelinhas de alma e de esquinas corporais! : )
Nós somos um pouco de tudo ao sabor do tempo, do espaço e das circunstâncias...a beleza disso tudo é sabermos estar em qualquer uma das diferentes situações.

Beijos grandes aqui da Teia.
Aparece por lá.

Léia disse...

Ao expor assim meus sentimentos
A nudez do meu eu a se exibir,
Deixa-me atada à timidez de fêmea recatada.
E lança-me ao vôo livre do desejo de existir.
Sentimentos antagônicos me preenchem e ocupam meus espaços vazios, me ensinando a ser inteira.

um grande beijo a todos que leram um pouco de mim e me entenderam.

Léia

Carlos Henriques disse...

Olá Leila
Olá Miriam
Vou apenas comentar numa simples frase:
- revejo-me neste poema lindissimo

**beijos pras duas**

Alexandra disse...

Lindo o que li aqui Léia! Parabéns!!! No fundo, não somos um fragmento, somos um todo que se escreve no livro que cada um de nós tem.

Beijos para si e para a Miriam!