sábado, agosto 26, 2006

Árvore Ribeirinha






Um dia, molhada de sol, permiti que meus olhos se nublassem de águas serenas, vindas do profundo do meu ser. Cascatas brilhantes mostravam ao mundo um caminho percorrido, entre rochas e granitos, espremidas em abissais traumas que, fechando-se em perspectiva, empurravam a água, cada vez mais forte, desobstruindo sentimentos antigos e sinceros. Hoje, embora a chuva caia lá fora, meus olhos se enchem de sol. Águas, antes revoltas, agora são apenas vislumbradas em plácidas ondas e ouvidas em sussurros, que enlevam a alma, enquanto a natureza segue seu curso e seu rumo.
Sou árvore riberinha, que se mantém firme, mesmo em meio a muitas tempestades e fúrias naturais e humanas. Minhas folhas são vibrantes. Minhas flores, perfumadas. As raízes, que cresceram aprendendo a se defender dos ventos fortes e das secas, são o apoio que me dá forças. Sou descanso e pousada. Sombra e beleza. Rastro e paisagem. Sou o futuro incerto, de felicidade certa. Sou sonho mesclado com realidade. Sou verdade, sentida e vivida em sua mais plena intensidade.
Sou gente... sou flor...
Sou árvore... sou amor!


by Miriam, vivenciando doces momentos.

7 comentários:

Kalinka disse...

OLÁ MIRIAM:

VEJO QUE SUA INSPIRAÇÃO VOLTOU E...muito intensa, pois você está vivenciando doces momentos.
Que bom!!!

Adoro cascatas...
Você é árvore, suas folhas vibrantes e suas flores perfumadas, você é descanso e POUSADA, que belo...
Sim, somos gente...!!!

Beijo-te com muito carinho.

Léia disse...

Miriam,
Sejamos fortes o suficientes para nos sustentar apesar do vento, porém corajosos o bastante para sairmos de perto dele e procurarmos a brisa calma da paz.
Sejamos futuros incertos de felicidade certa!
Adorei!

Beijo!!!

Kalinka disse...

MIRIAM E LÉIA

quando quiserem podem visitar meu kalinka e ver as novidades que trago da minha viagem de 7 dias por caminhos de Portugal. Adorei.

Ainda não comecei a reportagem fotográfica, pois só amanhã vou ter as fotos comigo, mas já há muito para ler.
Espero a vossa visita.

Beijos às duas, com carinho.

Sandra Daniela disse...

somos gente, somos flores, somos arvores, somos aquilo que queremos ser, com a força das nossas atitudes perante a vida! lindissimo texto
um beijo

su disse...

E eu estendo os meus braços na desenfreada fuga pelo movimento das águas e sei que encontro desde as raízes aos ramos dessa força de árvore ribeirinha que acolhe com palavras manifestas de tudo o que se pode ser na vida aquele ser que se sente perder nela...
Lindas demais.
És um amor, de verdade! : )

Gostava de ser a natureza e não pensar...

Beijos aqui da Teia recém chegada.

antonior disse...

Olá, Miriam!

"Sou árvore riberinha, que se mantém firme, mesmo em meio a muitas tempestades e fúrias naturais e humanas"

Assim se faz rimar "gente" com "amor" num aroma a "flor urgente".

Beijos

Anônimo disse...

Sou árvore ribeirinha