sexta-feira, setembro 08, 2006

CONVITE
Entre sem bater
Espie na luz dos meus olhos
No recôndito do meu ser adentre
Mergulhe!
Encontre a minha alma, estenda-lhe a mão.
Passeie com ela
Viaje!

Abra o mapa, verás meu coração.
Chegue perto e pulse com ele
Acompanhe o seu ritmo
Dance!
Não precisa bater, entre!


Descubra os sentimentos e converse com eles.
Sinta!
Ao seguir, olhe apenas...
Irás entender
Que a alma vagueia
No coração descansa, bebe, se alimenta.
Abastecida parte à nova mente
Entenda!



Sou abrigo da alma
Porto de um coração
Guarida dos sentimentos.
Regido pela mente.
Perceba!


O que vês é só pintura.
Os verdadeiros moradores estão lá dentro.
Se os quiseres conhecer
Volte sempre!
Entre!

Não precisa bater.
Léia Batista

13 comentários:

poeta_silente disse...

O que poderia te dizer, Léia? Se eu já havia te falado sobre esta poesia... Sobre a tua formatação, também.
Só posso acrescentar que, sempre que alguém quiser entrar, para compartilhar amor, que entre. Mas, não permitas a entrada de outros sentimentos que não venham a te acrescentar.
Belíssima imagem esta última... o sol forma um coração no reflexo da água...
Água = pureza, alimento indispensável.
Sol= luz, aquele que ilumina os caminhos..
Coração= amor, sentimentos, o sentir "de" ( de mim)/"para" (para o mundo). e o sentir "de" ( do mundo)/ "para" (para mim).
Beijinhos
Miriam

Kalinka disse...

OLÁ LÉIA

eu não bati...entrei...

para dizer que estive ausente, por 1 semana, de mim mesma e do Mundo.
estou de volta...para partilhar o mesmo de sempre.
bela música. adorei.
transmitiu-me muita calma.

Vou voltar e, como só trago Amor, não preciso de bater...

Beijos com muito carinho.

Isa&Luis disse...

E foi assim que, sem precisar de bater, entrei.
Agradeço teres-me recebido de um modo tão aberto!

Um beijo
Luis

su disse...

De facto existe um acompanhamento belíssimo entre a música, palavras e fotos...bem escolhido. Tudo isto contribui para a criação de momentos encantadores e deliciosos na leitura e passagem por este cantinho.

Entrar sem ser convidado e ser sempre bem recebido isso é que é o grau máximo da hospitalidade.

Um beijo grande para as duas.

citadinokane disse...

Léia,
Estou entrando... Ô de casa! Gostei o que li, o ambiente é harmonioso e dá vontade na gente de parar, sentar e descansar... Poesia feita água fresca, gostosa e mata a nossa sede...
Léia voltarei aqui.
Abraços,
Pedro

Francieli Rebelatto disse...

Viajei, entendi, percebi, e agora estarei sempre presa ao fato de ter que voltar? Acho que sim..Muito bom...beijos

antonior disse...

Olá, Léia!

Essa generosidade de não ter portas a que bater é sublime. Infelizmente já não estamos habituados a não ter de bater para entrar seja onde for. Esse é um mundo de luz, em que como dizes, "Os verdadeiros moradores estão lá dentro". Voltarei sempre, sim.

Beijos

arritmico-mano disse...

entrei sem bater e soube-me bem.

vou espreitando a ver quem mora aí dentro, e deixo um sorriso impreceptível...

tou também em: glandulasudorifera.blogspot.com

Nilson Barcelli disse...

Léia, aceitei o teu convite.
Porque ele é lindo e irrecusável.
Parabéns por tão belas palavras.
Beijo-te.

Tozé Franco disse...

Olá Léia.
Tomei a liberdade de entrar para lhe dar os parabéns pelo belíssimo blogue (textos e fotos). Vou voltar.

Moura disse...

Vocês são duas bençãos de Deus! A escrever e a procurar fotografias em sintonia com os textos...só mesmo de alguém possuidora de dons abençoados.
Um bem haja para vós,
Moura

Nilson Barcelli disse...

Vim cá outra vez, entrei e não vi nada novo. Mas vi coisas diferentes, já que o meu olhar não é mais o mesmo. Mas sempre belas, claro.
Beijos.

Guilherme F disse...

Entrei! (depois digo se gostei...)
Mas gostei das palavras.