domingo, novembro 12, 2006

Um momento ímpar!

Devo admitir. Estou vivenciando um momento impar em minha vida. Não, exatamente, como momento no qual tudo está bem, somente sorrisos e festas. Talvez um pouco de cada coisa. Mas, sem dúvida, a cada dia, uma surpresa. A cada dia, um novo fato e uma nova constatação.
Momentos assim são raros. Porque as coisas tendem a andar de uma forma natural... e não é o que está acontecendo, atualmente.
Baseada nestes fatos, proponho-me um desafio, o qual tentarei cumprir diariamente: - Fazer um resumo das surpresas e dos acontecimentos. Não como descrição de fatos. Mas, sim, como uma análise vivencial e comportamental, relacionada com o todo.
O todo me faz pensar sobre as atitudes do ser humano. Tão ambíguas, tão sem um ponto definido... que chegam às raias da agressão. Mas não uma agressão cujo alvo seja conhecido. Há, no ser humano, que sente-se agredido pelo mundo externo - em sua mais ampla visão - uma agressão dirigida, também, ao todo.
É o caso que vi num dos mais antigos Blogs que visito. Agressão pura e simples. Agressão aos visitantes, aos comentários, e aos próprios posts do autor.
A falta de cultura não é, exclusivamente, a causa de tantas anomalias do homem. O que faz com que um ser humano use de agressão é a percepção de que está sendo agredido... é o próprio mundo que o rodeia e que vemos, dia a dia, denegrir com a nossa auto-imagem. Em cada canto do nosso mundinho pequeno e insano, a tecnologia proporciona falsas liberdades, colocando o hedonismo como a melhor filosofia de vida e a que mais devemos seguir. E se este alvo não é atingido, vamos, então, a procura de onde descarregar nossas frustrações, percorrendo, através da própria tecnologia, caminhos que nos levem à completa realização hedonística momentânea... Ou seja: "Senti-me agredido porque, hoje, não tive nenhum prazer? Vou, então, à luta... Vou mostrar para o mundo que ele está a me incomodar, a me agredir"...
Se não existissem pessoas em um patamar superior, se não existissem pessoas que renegam a filosofia mundana e vulgar, muitos locais virariam campos de batalha, em reação multifacetada de personalidades doentias.
Mas... estou vendo que ainda temos um consolo e uma salvação. Existem, sim, poucas mas, sem dúvida nenhuma, cruciais reações de personalidades coerentes e cultas, que nos dão um certo alento e esperança de um futuro melhor. E se não "um futuro melhor", pelo menos, "um cantinho melhor"!

by Miriam, numa primeira etapa do desafio.

3 comentários:

Sophie disse...

Existe sempre esperança.

Beijo :)

Luís Costa disse...

Numa era em que o homem perdeu todos os seus pontos de referência, em que se afasta cada vez mais de si mesmo, da sua posiç~ao no cosmos, em que os valores morais se encontram de rastos, em que o lucro e o hedonismo ( prazer fácil a todo o risco) s~ao o sentido final, que poderemos esperar da maioria dos homens sen~ao ignorância?
Só aquele homem que tem coragem para reflectir sobre a sua existência e sobre o mundo que o rodeia, pode, de facto,ainda ter esperança num mundo melhor. Mas o grande problema é que a maioria dos homens vive inconscientemente o seu dia a dia, como verdadeiros predadores...
Como dizia Hobbes 'Homo homini lupus'

Luís Costa, Alemanha

antonior disse...

Minha Amiga!
Obrigado pelo teu sentir ímpar e pela solidariedade.

Beijos