sábado, julho 14, 2007

Vamos rir um pouco?

Inexperiência

Um marinheiro e um pirata se encontram em um bar e começam a contar suas aventuras nos mares. O marinheiro nota que o pirata tem uma perna de pau, um gancho e um tapa-olho. Curioso, pergunta:
- Por que você tem essa perna de pau?
O pirata explica:
- Nós estávamos em uma tormenta no mar. Uma onda enorme veio por cima do navio e me jogou no mar. Eu caí no meio de um monte de tubarões! Lutei contra eles e consegui voltar para o navio, mas um tubarão conseguiu arrancar a minha perna!
- Uauuu!!!! - impressionou-se o marinheiro.
- Que história! Mas e o gancho? Foi culpa do tubarão também?
- Não, o gancho foi outra história. Nós estávamos abordando um barco inimigo e, enquanto lutávamos, fui cercado por quatro marinheiros. Consegui matar três, o quarto me cortou a mão.
- Caramba! - disse o marinheiro. Incrível!!! E o tapa-olho?
- Caiu um cocô de pombo no meu olho.
- E você perdeu o olho só por causa do cocô do pombo?!
- Bem... era meu primeiro dia com o gancho...



Eu levo ou deixo?

Diz a lenda que Rui Barbosa, ao chegar em casa, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal.Chegando lá, constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus amados patos, disse-lhe:
- Ó bucéfalo anácrono! Não o interpelo pelo valor intrínsico dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos à sorrelía e à socapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada prosopopéia de cidadão digno e honrado, dar-te-ei com minha bengala fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que te reduzirei à quinquagésima potência que vulgo denomina nada.
E o ladrão, confuso, diz:
- "Dotô, eu levo ou deixo os pato?"


Bom pescador

No hospício, sentado num banquinho, o doido segura uma vara de pescar mergulhada num balde de água. O médico passa e pergunta:
- O que você está pescando?..
- Otários, doutor...
- E já pescou algum?
- Contando com o senhor já são cinco!...


Criancices

Dois velhinhos conversam num asilo:
- Amigo, eu tenho 83 anos e estou cheio de dores e problemas. Você deve ter mais ou menos a minha idade. Como é que você se sente?
- Como um recém-nascido!
- Como um recém-nascido?!
- É... Sem cabelo, sem dentes e acho que... acabei de sujar as calças...


by Miriam, num intervalo para as risadas.
fonte: Jornal "O Lutador" - 1º - 10 de maio de 2007

quinta-feira, julho 05, 2007

*A Cobra e o Pirilampo**

(Para pensar....)


**Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um pirilampo. Ele fugia
com medo da feroz predadora, mas a cobra não desistia. Um dia, já sem forças, o pirilampo parou e disse à cobra:
- Posso fazer três perguntas?
- Podes. Não costumo abrir esse precedente, mas já que te vou comer, podes perguntar.
- Pertenço à tua cadeia alimentar?
- Não.
- Fiz-te alguma coisa?
- Não.
- Então porque é que me queres comer?
- PORQUE NÃO SUPORTO VER-TE BRILHAR!!!
**
**E é assim .... *


*Diariamente, tropeçamos em cobras! ** **

Texto recebido por e-mail. Como é interessantíssimo, deixo-o aqui. Deu-me vontade. Quantas e quantas vezes, somos perseguidos por cobras?... O que importa é que a vitória é sempre nossa, dos Pirilampos. Porque somos vencedores no Nome dAquele que nos amou e Se entregou por nós.

quarta-feira, julho 04, 2007

Desculpem-me a ausência


Hoje me dei um tempo.. pouco. Uns 15 a 20 minutos de descanso, para poder entrar aqui e falar com meus amigos , que tão gentilmente me visitam e deixam comentários.
Nestas últimas semanas meu trabalho aumentou - com a graça de Deus - e estou completamente sem tempo para visitar os Blogs e retribuir as palavras tão amáveis que me deixam.
É do conhecimento de todos o tempo que gastamos quando pulamos de janela em janela, de Blog em Blog, a ler maravilhas (porque em todos que eu visito só vejo posts magníficos). Gostamos. Paramos. Analisamos. Relemos... Nos colocamos em concentração e fazemos uma análise do que lemos. Esta análise se baseia em imagens, palavras... silêncio... espaços em branco... espaços preenchidos. Só assim conseguimos fazer um comentário que seja adequado ao post que estamos lendo no momento. E, sim, isto leva tempo.
Um minuto que deixo de trabalhar estou perdendo dinheiro. Não posso me dar o prazer de viajar com vocês. E jamais murmuraría contra isto. Porque trabalho é uma benção de Deus.
Peço, então, que vocês me entendam. Entendam que eu não os visito, mas estou com saudades. Não comento, mas as palavras que digo para todos estão borbulhando, querendo sair e se postar nos comentários dos posts feitos a cada dia. Não viajo pelas janelas, mas meus olhos sonham em estar em cada cantinho onde eu os encontro. Porque a saudade é imensa.
Prometo que assim que puder estarei com vocês. Deixando minha amizade, meu amor, meu carinho. Porque é assim que me sinto em relação a todos.
Deus os abençoe.
Beijos
Miriam

by Miriam, num intervalo. Saudades.